20 - O Sábado

29-07-2012 02:02

 

O bondoso Criador, após os seis dias da Criação, descansou no sétimo dia e instituiu o sábado para todas as pessoas, como memorial da Criação. O quarto mandamento da imutável lei de Deus requer a observância deste sábado do sétimo dia como dia de descanso, adoração e ministério, em harmonia com o ensino e prática de Jesus, o Senhor do sábado. O sábado é um dia de deleitosa comunhão com Deus e uns com os outros. É um símbolo de nossa redenção em Cristo, um sinal de nossa santificação, uma prova de nossa lealdade e um antegozo de nosso futuro eterno no reino de Deus. O sábado é o sinal perpétuo do eterno concerto de Deus com Seu povo. A prazerosa observância deste tempo sagrado de uma tarde a outra, do pôr-do-sol ao pôr-do-sol, é uma celebração dos atos criadores e redentores de Deus.
 
Meu pai tinha o costume de trocar de roupa no final da tarde de sexta-feira. Ao vê-lo descer as escadas, vindo do quarto, com sapatos pretos, calça escura listrada, colete, paletó, camisa branca e gravata preta, um dia lhe perguntei: Papai, nós vamos a algum lugar?
– Não – replicou ele – hoje, à noite, não. Mas alguém está para chegar.
Essa lembrança dos meus primeiros dias da infância contém o significado do sábado para mim. Nesse dia especial, Deus vem até mim, e eu tenho que estar preparado para o encontro com Ele.
 
O Primeiro Sábado
Deus instituiu o sábado quando criou o mundo. Gên. 2:1-3. Embora esse texto não mencione a palavra sábado, ele apresenta o sétimo dia como o dia no qual Deus concluiu Sua obra. Daí depreendo que o primeiro sábado pertenceu unicamente a Deus, pois somente Ele havia trabalhado seis dias. O sábado não é, essencialmente, uma prática social, humanitária ou étnica, mas é um princípio divino, pertencendo a Deus e à Sua criação como um todo.
 
Deus não teve de descansar de Sua obra pelo fato de estar cansado. Ele poderia ter ido imediatamente para outro canto do Universo a fim de criar luas, fazer surgir estrelas e soprar o fôlego de vida em outras novas criaturas. Mas Ele parou para abençoar e santificar o sábado, e assim assegurar-nos de que o sábado é o dia de Sua santa presença. A presença de Deus – não o legalismo ou o sectarismo – é a chave para a minha guarda do sábado. Alguém está vindo e eu preciso estar preparado para recebê-lo adequadamente.
O quarto mandamento me fornece o segundo grande texto sobre o sábado na Bíblia: “Lembra-te do sábado para o santificar.” Êxo. 20:8. O que significa esquecer o sábado? Seria como esquecer a presença de Deus conosco. Será isto possível?
Êxodo 16 narra a história de escravos hebreus recém-libertos que se esqueceram do sábado. Trabalharam um pouco mais no sexto dia para juntar uma porção dobrada de maná, mas não conseguiram entender o significado disso. Alguns tiveram que recorrer a Moisés para terem uma explicação. Verso 22. Outros saíram no sábado para conseguir maná e não encontraram nada. Verso 27. Portanto, é possível esquecer-se do sábado, principalmente aqueles que só pensam em alcançar seus alvos pessoais ou obter lucro.
O mandamento para lembrar-se do sábado, então, me convida a lembrar do meu Criador. Êxo. 20:11. Lembra-se do sábado significa lembrar-se de que Deus criou o mundo em seis dias e cessou no sábado para oferecer a Seu povo Sua santa presença. A forma de corresponder a isso é estar pronto para receber meu Divino Convidado no início do sábado, ao pôr-do-sol do sexto dia. Lev. 23:32.
Nenhuma idéia de trabalho, ou de algum negócio inconcluso ou obrigação assumida de última hora, nada deve interferir nessas boas-vindas. Roupas limpas, casa arrumada, mesa festiva, alimentos especialmente preparados, uma leitura e oração, além de música e conversação adequadas compõem minhas boas-vindas a Deus. Assim como Deus completou Sua obra em seis dias, também tenho de completar a minha.
Por meio de um concerto, Deus estabeleceu um especial relacionamento com Seu povo. A Bíblia fala do sábado como um sinal desse relacionamento. Êxo. 31:13-17; Ezeq. 20:12 e 20. Um concerto, da mesma forma que um contrato, discrimina os privilégios e as responsabilidades que governam um acordo, da mesma forma que um relacionamento conjugal ou uma sociedade comercial. O sábado corresponde a esse contrato, apresentando meus privilégios e responsabilidades diante de Deus. E quais são eles?
1. O privilégio da segurança. O sábado como memorial da Criação significa que assim como Deus concluiu Sua obra da Criação também Ele vai terminar a obra da re-criação. Está o mundo se desintegrando, quase que voltando ao seu estado mais primitivo? O sábado me assegura de que o Deus que criou também o sustenta.
2. O privilégio de pertencer. O sábado como memorial da Criação também me lembra de quem eu sou – um filho de Deus, criado à Sua imagem. Além disso, no sábado ficamos livres de qualquer trabalho, portanto nos tornamos todos iguais. Ninguém é chefe. O sábado nos recorda de que pertencemos a Deus e não somos servos uns dos outros.
3. Minha responsabilidade diante de Deus. Ele espera que nesse dia Lhe conceda total atenção, deixando de fazer qualquer coisa em meu benefício ou falando de assuntos do meu interesse. Isa 58:13. Alguns acham que isso é uma exigência impossível, mas pessoalmente sempre gostei dessa experiência. Quando estudante, sempre dei graças a Deus por dispor de um dia no qual, sem peso de consciência, podia ficar sem estudar. Até hoje, gosto de completar alguma tarefa na sexta-feira e limpar minha mesa de trabalho, para só voltar a ela na próxima semana. Assim, o sábado se torna uma responsabilidade agradável e prazerosa.
4. Minha responsabilidade em relação aos outros. Primeiramente, a Bíblia nos ensinar a estender o sábado a outras pessoas, de perto e de longe. Jamais devemos ficar na dependência dos outros para guardar o sábado, por outro lado devemos incluir outras pessoas nesse privilégio.
Mais do que isso, o sábado exige que estejamos dispostos a atender às necessidades dos outros. Por essa razão, temos veículos para emergências, hospitais de plantão, alguns serviços funcionando, fogões para aquecer, e mantemos os serviços essenciais e necessários. O que for preciso realizar no sábado, vamos realizar por Deus e para atender aos outros e não a nós mesmos.
 
A Guarda do Sábado
Muitos teólogos e alguns estudiosos do comportamento humano têm reconhecido os grandes benefícios que o sábado proporciona. Alguns têm destacado o valor de certas práticas tradicionais dos judeus e outros até que há algo a ser aprendido de sérios guardadores do domingo. O hábito de ir à igreja pela manhã e reunir toda a família ou convidar amigos para um almoço em conjunto, logo depois, por exemplo.
Apesar de muito interessantes, não podemos olvidar o fato de que pertencem a uma ou outra cultura. Não podemos confundir isso com o próprio sábado. O sábado pertence ao mundo todo, a todas as pessoas, de todos os tempos. O que é especial no sábado não depende do que eu faço, mas reside na santidade do seu tempo e na minha atitude diante disso.
 
De toda a Criação, o tempo do sábado é a única coisa que foi feita santa. Durante esse tempo sagrado, Deus vem visitar o Seu povo. Isso explica por que nesse dia nos lembramos da Criação e vivenciamos o clima da Redenção. Quer se trate da Encarnação ou da Igreja, do casamento ou da família, lei de Deus ou segunda vinda de Cristo, o sábado toca em todos os aspectos de minha fé.
Dessa forma o sábado se relaciona tanto com minha fé quanto com minha vida. Com esse ponto de vista privilegiado, posso olhar para trás e me lembrar da obra da Criação e do plano da Redenção. E como resultado tenho vontade de louvar, adorar e servir. Mas também posso ver adiante: a obra da Redenção completada e a nova Criação.
E mais do que isso. O sábado é também um fundamento para a minha prática religiosa. Ao pôr-do-sol de sexta, costumo receber o sábado com adoração a Deus – formal ou informalmente, mas sempre com reverência e espiritualidade. Na seqüência, vem a Escola Sabatina e o culto de adoração, no sábado pela manhã. Mas o culto não tem que ser encarado como hábito nem obrigação. Sendo uma nova experiência, cada sábado, pode ser algo agradável, completado com hinos, orações, manifestação dos dons espirituais e a mensagem de Deus para esse dia. Posso sentir a presença de Deus através de Sua Palavra escrita e por meio do Seu Espírito.
 
Um Dia Maravilhoso
O sábado é um dia maravilhoso para todo o povo de Deus. Nesse dia, posso partilhar de uma refeição agradável com a família e com amigos, enquanto desenvolvemos uma conversa descontraída e estimulante. Mais tarde, haverá tempo para sentar debaixo de alguma árvore, com alguns livros, mastigando algumas maçãs ou nozes. Outra opção é fazer uma caminhada por entre as árvores ou na praia, falando pouco, contemplando mais e refletindo mais ainda.
Com que prazer Deus deve ter completado este mundo, colocando tudo no seu devido lugar, nada faltando, em completa harmonia, interagindo, céus e Terra, flores e árvores, pessoas e animais. Então, com satisfação, Deus pára e diz: “Muito bem, vamos fazer uma pausa – 24 horas.”
O que o sábado significa para mim? Memorial da Criação, sinal do concerto, amostra da eternidade, descanso e equilíbrio, adoração e alegria, e a absoluta satisfação de estar em companhia de meus queridos e com Deus.
 
Por Neils-Erick Andreasen – Presidente da Universidade Andrews, nos Estados Unidos
 
Voltar

Procurar no site

"Levantai ao alto vossos olhos e vede. Quem criou estas coisas? Aquele que faz sair o seu exército de estrelas, todas bem contadas, as quais Ele chama pelo nome, e por ser Ele grande em força e poder, nem uma só vem a faltar." Is. 40: 26