4. LEMBRA-TE DO DIA DE SÁBADO PARA O SANTIFICAR

28-07-2012 22:30

 

TODOS ESTES MANDAMENTOS DA LEI DE DEUS são de importância vital. Todavia, na ocasião em que o Senhor os deu a Moisés, alongou-se mais a respeito deste quarto mandamento que dos outros. Empregou apenas duas palavras para proibir o homicídio, mas fez uso de 97, em nossa versão, para dizer: "Lembra-te do dia de sábado para o santificar."  
Logo de início, Ele nos concita a nos lembrarmos do dia do Senhor. Cientificamente falando, ninguém se esquece de nada. Cada pensamento que nos ocorre fica registrado para sempre em nossa mente. Entretanto, na prática, nós podemos esquecer muitas coisas. Esquecemos nomes e datas; negligenciamos nossas responsabi1idades, e nos descuramos até mesmo de Deus. 
De algumas coisas nos esquecemos propositadamente, por nos serem desagradáveis. De outras, nos esquecemos porque a mente está voltada para outros assuntos. É o caso da guarda do dia do Senhor. Deus disse que o homem precisa santificar um dia da semana. Deixar de fazê-lo resulta em sofrimento para ele. 
Por que Deus concedeu esse descanso ao homem? 
1) Em 1º lugar: Como recompensa pelo seu trabalho. Quem trabalha merece descansar. Quando ignoramos este dom de Deus estamos lesando a nós mesmos. 
Em seu livro East River (Rio Oriental),  cita as palavras de um velho judeu, com referência ao dia do Senhor. Creio ser este o melhor comentário que conheço sobre a guarda do dia do Senhor. Ele disse: 
"O homem que trabalha não pelo pão de cada dia, mas para acumular riquezas, é um escravo. Foi por isso que Deus estabeleceu o dia do descanso. Pois pela observância dele sentimos que somos diferentes dos animais de carga, que existem apenas para comer e trabalhar. Somos homens. O escopo do homem é esse dia; não o trabalho em si, mas o descanso que ele recebe como prêmio pelo seu labor. O que ocasionou verdadeiramente a libertação dos judeus do cativeiro do Egito, foi justamente o fato de reverenciarem o dia do descanso dedicado a Deus. Foi por meio desta prática que eles proclamaram sua condição de homens 1ivres." 
 
2) Em 2º lugar: Deus nos proporciona um dia de descanso porque todos precisamos refazer as nossas energias. Assim como uma pilha elétrica se descarrega e precisa ser recarregada, assim também nós nos desgastamos fisicamente. 
Gerald Kennedy conta a história de dois grupos de pioneiros americanos que partiram do leste, atravessando as planícies centrais dos Estados Unidos, e se dirigiram para a Califórnia. Um deles era guiado por um homem temente a Deus; o outro, por um incrédulo. O primeiro parava todos os sábados para descansar e cultuar ao Senhor. O outro, ansioso demais para chegar ao ouro da Califórnia, não perdia tempo com paradas. Viajava sem parar, todos os dias. Entretanto, sucedeu um fato notável: o grupo que observava o dia do descanso chegou ao seu destino antes do outro. 
Já é fato comprovado em nosso próprio país, que se trabalha mais em seis dias, ou mesmo em cinco, do que em sete. Uma pessoa fisicamente exausta é totalmente improdutiva. Do mesmo modo precisamos reacondicionar a alma. 
Um grupo de exploradores americanos foi para a África. Naquele continente contrataram alguns guias nativos. No primeiro dia de viagem, eles avançaram rapidamente; o mesmo acontecendo no segundo, no terceiro, e nos dias subseqüentes, até o sexto dia. No sétimo, porém, os guias permaneceram assentados debaixo de uma árvore. 
"Vamos!" gritaram os exploradores. "Hoje nós não ir", replicou um dos nativos. "Nós descansar para a alma ficar um dia com o corpo." Foi por isso que Deus disse: "Lembra-te do dia de sábado." 
Às vezes perdemos tanto tempo discutindo a respeito das coisas que não podemos fazer no sábado, que nos esquecemos das que devemos fazer. Deus nos concedeu este dia para que tenhamos oportunidade de desfrutar algumas das melhores e mais importantes realidades da vida, e não para que nos fosse um dia de proibições. 
Um velho mineiro disse certa vez a uma pessoa que o visitava: "Eu deixo as mulas ficarem fora da mina uma vez por semana, para evitar que fiquem cegas." Aqueles que não se afastam um pouco das suas atividades diárias ficam cegos da alma. 
O grande filósofo Santayana disse: "Fanático é aquele que perdeu de vista seus objetivos, mas redobra seus esforços para atingi-los." Grande parte da atividade incessante que testemunhamos hoje é realizada por gente sem alvo e sem propósito. 
Deus afirma que nós precisamos separar um dia por semana para que possamos preservar nosso objetivo. Ou como disse Carlyle: "O homem que não cultua a Deus regularmente é como um par de óculos por trás do qual não existem olhos." 
Tenho conhecido muitas pessoas que perderam o controle dos nervos. Tenho visto outros também para quem a vida se tornou um fardo insuportável. Mas é muito raro, bem raro mesmo, encontrar uma pessoa que guarde o sábado e freqüente os cultos com regularidade o que seja emocionalmente desequilibrada 
Os americanos têm uma expressão idiomática que diz: "Isso aí levou meu bode." Esta frase tem origem num fato interessante. Os antigos criadores de cavalos que possuíam animais de raça, os quais eram muito sensíveis e nervosos, costumavam manter sempre um bode nos estábulos, junto com eles. A presença daquele bode calmo e tranqüilo ajudava a conservar os cavalos sossegados. Na véspera do dia das corridas, era comum um criador rival furtar o bode de um concorrente. Assim o cavalo não faria sua melhor performance no dia seguinte. 
Nós também, muitas vezes, ficamos nervosos e irritadiços, e perdemos a corrida da vida. O homem precisa reconstituir o seu corpo por meio do repouso e também receber inspiração espiritual. 
Diz Dostoievsky: "O homem que não se inclina diante de nada, nunca poderá suportar todo o fardo de si mesmo." Muitos de nossos temores, preocupações e tensões nervosas seriam evitados se observássemos este quarto mandamento. 
Nós somos apressados demais, e corremos mais do que podemos. A Bíblia nos diz: "Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus." A verdadeira beleza não é agressiva, é tranqüila. Nossas melhores disposições não são barulhentas. Os apelos da divindade ao homem são sempre em uma voz mansa e suave. 
O retrato que o Novo Testamento nos dá de Cristo é: "Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a Minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e cearei com ele e ele Comigo." (Apoc. 3:20.) 
Deus não é importuno. Não invade a vida de ninguém sem ser convidado. Ele é reservado e cortês. "Nós precisamos de um dia para ouvir uma voz como a dEle; um dia em que concedamos audiência ao Deus Altíssimo", disse o Dr. Fosdick. 
Assim como se constróem telescópios para se obter uma visão melhor dos astros, assim também, desde os primórdios da civilização, os homens vêm construindo templos e dedicando um dia certo ao culto, a fim de obter uma visão molhar de Deus e dos ideais mais elevados da vida.  
"Lembra-te do dia de sábado para o santificar", disse o Senhor. 
 
Voltar

Procurar no site

"Levantai ao alto vossos olhos e vede. Quem criou estas coisas? Aquele que faz sair o seu exército de estrelas, todas bem contadas, as quais Ele chama pelo nome, e por ser Ele grande em força e poder, nem uma só vem a faltar." Is. 40: 26