8 - O Grande Conflito

29-07-2012 10:58

 

Toda a humanidade está agora envolvida num grande conflito entre Cristo e Satanás, quanto ao caráter de Deus, Sua lei e Sua soberania sobre o Universo. Esse conflito originou-se no Céu quando um ser criado, dotado de liberdade de escolha, por exaltação própria, tornou-se Satanás, o adversário de Deus, e conduziu à rebelião uma parte dos anjos. Ele introduziu o espírito de rebelião neste mundo, ao induzir Adão e Eva em pecado. Esse pecado humano resultou na deformação da imagem de Deus na humanidade, no transtorno do mundo criado e em sua conseqüente devastação por ocasião do dilúvio mundial. Observado por toda a criação, este mundo tornou-se o palco do conflito universal, dentro do qual será finalmente vindicado o Deus de amor. Para ajudar Seu povo nesse conflito, Cristo envia o Espírito Santo e os anjos leais, para os guiar, proteger e amparar no caminho da salvação.
 
Faz algum tempo que uma nave espacial americana explodiu logo após o lançamento, matando todos os sete astronautas que nela estavam. A investigação científica para determinar as causas do desastre foram bastante minuciosas. Entretanto, afirmo que todos os cientistas do mundo não me poderão ajudar a entender por que a morte tem que fazer parte da experiência humana.
O problema da morte corresponde ao mais sério dilema que os seres humanos têm de enfrentar. Como posso eu encarar esse problema sem me tornar presa do desespero? Meu sistema de crenças religiosas me provê a resposta através da doutrina do grande conflito.
 
O Fundamento e Substância
Todas as 28 Crenças Fundamentais dos adventistas do sétimo dia são fundamentais para a vida e missão de nossa igreja. Mas a doutrina do grande conflito é básica para a nossa compreensão da realidade do mundo, influencia nossa filosofia de saúde, ciência, educação e história. Mais do que qualquer outra doutrina, ela expressa o fundamento central e a substância do pensamento adventista do sétimo dia. Ela é indispensável para a vida e missão de nossa igreja. E aqui estão as razões:
1. A doutrina do grande conflito provê uma estrutura para a compreensão da Bíblia.
Exatamente desde o início, a Bíblia me apresenta o grande conflito entre Cristo e Satanás. A primeira referência clara aparece já em Gênesis 3, no relato da tentação e queda, engano, derrota e morte de Adão e Eva.
Nos capítulos 4 a 11, já se pode ver a semente do pecado germinando no mundo natural, crescendo no campo da História e alcançando plena frutificação na esfera da experiência humana, na forma de atos de violência envolvendo a toda a criação.
O relato dos patriarcas (Gên. 12-50) anuncia o plano e propósito redentivo de Deus através da peregrinação espiritual de Abraão, Isaque e Jacó. A história nacional de Israel demonstra a obra do inimigo no sentido de derrotar o divino plano de salvação. Entretanto, a despeito da tendência para o mal observada nos seres humanos, o plano de Deus progride.
Nos hinos de Israel, nas orações e nos lamentos (salmos) pode-se perceber a batalha pessoal contra a pobreza, derrota e injustiça. O clamor dos justos sofredores e os protestos dos profetas revelam outros ângulos do mesmo conflito entre o bem e o mal.
O Novo Testamento expõe o caráter maléfico de Satanás com maior clareza ainda. Nos quatro evangelhos, podemos ver a relação direta entre pecado e sofrimento, bem como observar a plena atuação de Satanás no sentido de causar a miséria humana. Pode-se ver no livro de Atos os esforços de Satanás para impedir o avanço missionário dos apóstolos. A despeito de tudo, Cristo vence e cumpre plenamente o plano de Deus. O Apocalipse apresenta graficamente o triunfal resultado da grande controvérsia.
2. A doutrina do grande conflito centraliza minha atenção na vida e ministério de Cristo.
Lúcifer manchou o caráter de Deus – um duro e tremendo golpe contra o poder que garantia a segurança do Universo. Somente Cristo – a expressa imagem do próprio Deus – poderia lutar contra Satã. Vista através da perspectiva do grande conflito, a obra de Cristo tem um quádruplo significado:
A obra de Cristo é reveladora. Jesus veio para revelar a verdade sobre o caráter de Deus e ao mesmo tempo expor a insidiosa obra de Satanás. Ele não somente aponta para Deus, mas é o próprio caminho para Deus.
A obra de Cristo é redentiva. Ela soma Sua vida virtuosa, Sua morte sacrifical e Seu ministério intercessório, e tudo isso tem um significado especial à luz do grande conflito. Cristo nos livra da penalidade do pecado (a segunda morte), do poder do pecado (as tendências para o mal), e, em Sua segunda vinda, da presença do pecado (doença e processo degenerativo).
A obra de Cristo é restauradora. Quando aceitamos a Jesus como Senhor e Salvador, Ele começa Sua obra de restaurar em nós a imagem de Deus (o divino caráter). Ele completa essa restauração – o desenvolvimento e plenitude de nosso caráter – através do Espírito Santo.
Finalmente, a obra de Cristo tem uma função recriativa. Quando o caráter de Deus for completamente restaurado na vida de Seu povo, o grande conflito entre Cristo e Satanás estará decidido. Nesse tempo, Deus irá erradicar completamente o pecado pela criação de um novo Céu e uma nova Terra. O pecado, Satanás, e todos os que escolheram a maldade serão destruídos quando Deus, completamente vindicado, purificar o Universo. Os redimidos então estarão livres para gozar a vida eterna num mundo sem pecado.
3. A doutrina do grande conflito resolve problemas práticos.
Esse ensino dirige nossa atenção para a suprema importância do desenvolvimento do caráter. Ele aponta para a nossa necessidade de pensamentos puros, linguagem própria, comportamento correto e uma atitude positiva. Deixa claro que nossas crenças influenciam nossa vida.
4. A doutrina do grande conflito tem conteúdo moral.
Através dela não podemos ignorar a poluição da atmosfera, da terra e das águas. Não é possível rejeitar a possibilidade de uma guerra nuclear ou ficar indiferente à explosão populacional. Tais indiferenças negam nossa fé no Deus Criador e Sustentador da vida, e representam muito mal o Seu caráter.
Como então deveríamos nós como adventistas responder às questões morais de nosso tempo? Que saídas a doutrina do grande conflito pode prover para nós?
Primeiro, a doutrina nos informa que forças sobrenaturais estão influenciando as resoluções humanas. Ela aponta para a obra do mal no mundo agitando as paixões dos líderes que não temem a Deus. Ela nos permite ver a arrogância humana e a gula que conduzem à poluição ambiental e à deterioração dos povos mais pobres. Essa mesma doutrina ainda nos encoraja a apoiar as leis que promovem a justiça e a moralidade.
Segundo, essa doutrina nos adverte contra ações irresponsáveis. Qualquer lei ou sistema terá apenas um alcance limitado. Todo sofrimento e ruína do mundo resultam do pecado e essa é a questão que principalmente nos deve preocupar. Sem a presença e atuação do Espírito Santo, a humanidade não terá a paz.
5. A doutrina da grande controvérsia nos induz a uma atuante filosofia de vida.
Todo aquele que aceita os princípios desse ensino, exibe uma sabedoria prática. Por exemplo, todos os que valorizam o desenvolvimento do caráter, são mais seletivos quanto aos programas de TV a que assistem. Seu critério é simples: Para que propósito prático serve isso? Ajudará de alguma forma a meu crescimento pessoal? Isso colabora com o plano de Deus para a minha vida? De que forma específica serei beneficiado?
No fundo, essas preocupações nos conduzem a uma filosofia de vida que coloca a Deus no centro, e os demais como razão para uma vida útil – e essa filosofia resulta da doutrina do grande conflito. Essa doutrina nos enquadra nas mesmas leis que governam o Universo.
Se formos sábios, sem dúvida, iremos nos alinhar com o plano de Deus e pela graça de Cristo viveremos em harmonia com Sua vontade. Sob a liderança de Cristo seremos capazes de ordenar efetivamente nossa vida. Ao invés de uma existência vazia, nos moveremos em direção ao futuro com propósito e descobrindo a cada passo um maravilhoso significado na vida.
 
Por Joseph J. Battistone (Foi pastor em Fletcher, Califórnia, Estados Unidos)
Voltar

Procurar no site

"Levantai ao alto vossos olhos e vede. Quem criou estas coisas? Aquele que faz sair o seu exército de estrelas, todas bem contadas, as quais Ele chama pelo nome, e por ser Ele grande em força e poder, nem uma só vem a faltar." Is. 40: 26