Convicções Religiosas

16-08-2011 21:49

 A jornalista Wasthi Lauers de Castro ganhou destaque nacional ao abrir mão de um reality show por causa da fé, no último domingo. O programa ‘Tudo é Possível’, comandado por Ana Hickmann, na TV Record, selecionou a participante para concorrer ao cargo de repórter do reality. Mas, logo no segundo dia de participação, Wasthi começou a agir estranhamente.

A jovem se recusou a ir a uma festa, preparada pela produção do programa na sexta-feira à noite. No dia seguinte, Wasthi desistiu de todas as provas, sem dar prévio esclarecimento ou motivo. Só depois, quando Ana Hickmann se reuniu particularmente com a participante, as coisas ficaram explicadas. 
 
O que leva uma pessoa a desistir de um sonho por causa de uma religião? Essa é a pergunta que muitos fazem depois do ocorrido. Criticada por poucos e admirada por muitos, Wasthi Lauers foi um exemplo de convicção. Diante de milhões de pessoas, abriu mão de algo especial para a própria carreira.
De acordo com a psicóloga Renata Hans, a mente humana é uma caixa de convicções morais, sendo que essas influenciam de maneira determinante em suas ações.
“Nesse caso, a fé traz sentido à vida da pessoa. A religião está embutida na personalidade, orienta a existência, produz energia e mobiliza todo o ser”, explica Renata. “A fé pode ser o elemento que determina a cognição de uma pessoa. Caso Wasthi tivesse cedido às exigências do programa, ela estaria transgredindo valores que considera corretos, o que poderia gerar um sentimento de culpa”, complementa.
O jornalista e escritor Michelson Borges, admirou a atitude da jovem adventista. “Foi de uma tremenda coragem e senso de oportunidade. Declarar para milhões de telespectadores que abriu mão de uma grande oportunidade para se manter fiel à Palavra de Deus deve ter exigido da moça muita convicção e firmeza de caráter”, declarou o escritor.
 
Em entrevista, o escritor e jornalista Michelson Borges dimensionou a atitude da jovem Wasthi Lauers de Castro, que desistiu de participar de um programa de reality show por causa da fé. De acordo com o escritor, em tempos como os de hoje, é raro ver pessoas lutando por aquilo que acreditam.
 
1. Como ‘enxergou’ a atitude de Wasthi, quando ela simplesmente abandonou o reality show da Record para obedecer princípios bíblicos?
 
De uma tremenda coragem e senso de oportunidade. Declarar para milhões de telespectadores que abriu mão de uma grande oportunidade para se manter fiel à Palavra de Deus deve ter exigido da moça muita convicção e firmeza de caráter. 
 
Alguém poderia argumentar que ela foi um tanto imprudente ao aceitar participar de um programa que muito provavelmente colocaria à prova suas convicções de guardadora do sábado. Pode ser. Mas o que importa mesmo é que, no momento em que se viu sob pressão, Wasthi foi fiel e pôde testemunhar de sua crença, o que deixou admirada até mesmo a apresentadora do programa. 
 
Certamente, muitas pessoas devem ter pensado no exemplo dessa jovem que decidiu não violar sua consciência e sua fidelidade para com Deus - diga-se de passagem, algo muito raro nestes tempos de relativismo e corrupção moral.
 
2. Na sua opinião, o que leva uma pessoa a desistir de uma oportunidade como Wasthi teve? O que acontece na cabeça de uma pessoa com convicções tão fortes?
 
Uma íntima relação com o Criador, sólidos princípios morais e muita convicção de que a Bíblia, de fato, é a Palavra de Deus. É relativamente fácil obedecer a mandamentos que dizem: "Não matarás", "Não furtarás", etc., pois, se os transgredirmos, poderemos acabar na prisão. Há aí uma relação de causa e efeito negativa que inibe muita gente. 
 
Mas o que acontece com quem transgride o mandamento bíblico do sábado? Absolutamente nada, do ponto de vista humano. Quem guarda o sábado o faz pura e simplesmente porque reconhece que esse é um mandamento divino como os demais nove. Obedece porque está escrito e porque ama quem escreveu, e não porque poderá sofrer consequências, caso desobedeça. 
 
3. Vale a pena desistir de sonhos e oportunidades por causa de uma religião? 
 
Vale a pena desistir de sonhos quando temos um sonho maior do que todos os outros. Wasthi, os cristãos bíblicos em geral e os adventistas em particular têm um grande sonho: estar prontos para se encontrar com Jesus, quando Ele voltar. 
 
Todo e qualquer sonho ou plano para esta vida fica apequenado diante dessa grande esperança. Tudo o mais fica relegado a planos inferiores em perspectiva desse grande evento. Além disso, quando se tem a consciência afinada e sensível, uma das piores coisas é viver com o pensamento de se ter transgredido princípios que servem para nos proteger e que caracterizam nossa fidelidade ao Criador. 
 
Wasthi não desistiu de uma oportunidade simplesmente por causa de uma religião. Ela abriu mão daquilo por causa de seu amor a Deus. Muitos cristãos, ontem e hoje, têm tomado decisões semelhantes todos os dias.
 
4. O que os adventistas ganham com a guarda do sábado? Quais os benefícios disso?
 
Em Gênesis capítulo 2, vemos que Deus distingue o sétimo dia dos demais dias da semana: Ele descansa nesse dia (dando-nos o exemplo), abençoa-o e o santifica (separa-o). Deus fez isso e ninguém pode revogar esse feito. Portanto, os guardadores do sábado creem que o sétimo dia contém uma bênção que os demais dias não têm. 
 
Além de ser o memorial da Criação, conforme nos lembra o mandamento de Êxodo 20:8-11, o sábado é um dia especial de adoração a Deus e de tempo para convivência com a natureza e com a família. Se corretamente guardado (leia Isaías 58:13, 14), o sábado passa ser a solução para relacionamentos deteriorados (com Deus e com o semelhante) e um poderoso "antídoto" para o estresse. 
 
Assim, a devida observância do sábado, longe de ser um fardo, como pensam alguns, é uma bênção que confere saúde física, mental e espiritual. No que concerne à comunhão com Deus, há quem diga que, durante a semana, o cristão anda de mãos dadas com Jesus; no sábado, senta-se aos pés dEle para ouvi-Lo despreocupadamente (Salmo 46:10).
 
5. Na sua opinião, qual deveria ser a atitude de empregadores ao se depararem com homens e mulheres que tem em sua fé o sábado?
 
Se eu fosse proprietário de uma empresa, por exemplo, e me deparasse com um candidato adventista, levaria em conta a fidelidade dessa pessoa. Se alguém é tão fiel e íntegro a ponto de, por seu Deus, abrir mão de um emprego, de uma promoção, de um concurso, certamente essa pessoa é do tipo confiável, que se dedicará de maneira fiel também à empresa e aos empregadores. 
 
O respeito às crenças alheias e à liberdade religiosa igualmente revela nobreza de caráter. Assim, penso que as empresas, as escolas e os legisladores deveriam levar isso em conta e impedir que sejam prejudicados os observadores do sábado, em sua manifestação de fé pacífica e ordeira.
 
 
Entretanto, os Adventistas passam por apertos. A dificuldade de arranjar emprego é maior. Quando conseguem algo, provam que são diferentes, destacando-se dos demais funcionários da empresa. Nos estudos, muitos são os que demoram a se formar por causa de aulas que ocorrem às sextas-feiras à noite. Porém, também se destacam pelas notas e comprometimento.
 
Bruno Matos tem 17 anos. É adventista e já começa a refletir sobre os obstáculos que sua fé trará. “Às vezes penso em grandes oportunidades que receberei e que terei que recusar no futuro. Mas independente da área que eu escolher atuar passarei por provações. Este medo de falta de oportunidades não deve existir, pois creio que os planos e sonhos de Deus são muito maiores que os meus”.
 
Os sonhos deram certo para Milton Afonso. Oriundo de família humilde, entrou para a denominação Adventista já na adolescência. Hoje é empresário e dono de mais de 20 companhias, entre elas a Goldem Cross – considerada a maior companhia de seguro de saúde na América Latina e a quarta maior do mundo.
 
Perguntado sobre o segredo do sucesso ele afirma: “Fé em Deus e disposição de lutar, sintonizado com Sua sabedoria. Integridade em todas as transações. Aprendi a confiar na providência de Deus e a avançar confiantemente. Considerando o meu passado, posso ver como Deus me susteve e guiou em cada passo”, diz Milton Afonso.
 

http://www.saojosedoscamposdiario.com

Voltar

Procurar no site

"Levantai ao alto vossos olhos e vede. Quem criou estas coisas? Aquele que faz sair o seu exército de estrelas, todas bem contadas, as quais Ele chama pelo nome, e por ser Ele grande em força e poder, nem uma só vem a faltar." Is. 40: 26