O Criacionismo X Evolucionismo X Evolucionismo Teísta

01-09-2012 13:56

A Ciência e a tecnologia são poderosos, respeitados e altamente bem sucedidos. Nos últimos anos, eles melhoraram imensamente nosso padrão de vida nas casas: eletrodomésticos, alimentos, saúde, vemos também nos sistemas de comunicação, transporte, nas indústrias. Levando alguns a acreditar que todos os problemas da humanidade podem ser resolvidos pela ciência. 

Mas a ciência pode ajudar a encontrar respostas a questões sobre a nossa origem e destino, e sobre o nosso propósito para viver? Pode resolver os problemas da guerra e ambientes mal administradas? A ciência já tentou, sem sucesso e, muitas vezes em conflito direto com as respostas dadas na Bíblia.
O conflito mais notável que vemos é entre a teoria da evolução com seus bilhões de anos para o desenvolvimento progressivo da vida e do relato bíblico da criação da vida por Deus em seis dias literais de alguns milhares de anos atrás. O sucesso da ciência em outras áreas nos força a concluir que a evidência científica de uma teoria evolutiva é irrefutável? Às vezes, é alegado que a criação de seis dias descrito em Gênesis enfrenta graves problemas científicos e, portanto, é por boa parte dos cientistas rejeitado a favor do modelo evolucionista.
 
A Bíblia inclui muitas referências à atividade divina na criação do mundo, dos organismos, e dos seres humanos. Deve-se considerar que toda a Escritura tem a dizer sobre o assunto se quisermos entender o que a Bíblia ensina sobre o assunto. Um dos conceitos-chave da Bíblia é o relato de uma criação seis dias que transformou a Terra que antes era trevas em um planeta habitável e cheio de vida. 
 
Para nós cristãos Criacionistas, O Sábado deveria ser visto com preocupação. A Bíblia apresenta várias razões para observarmos esse dia, um deles está no versículo 11 de Êxodo 20, onde Deus nos explica o motivo de observarmos este dia. Deus quer que neste dia nos lembremos de tudo o que ele criou durante os seis dias.  A Rejeição da observância do Sábado, que é o Sétimo dia da criação, destrói a base para o modelo criacionista, e expõe cristianismo ao fracasso e sem argumentos em defesa da criação feita por Deus. Outra razão para aceitar uma criação em seis dias é que nenhum outro modelo disponível é satisfatório. A ciência é a principal fonte alternativa de teorias evolutivas, que por sua vez não podem ser comprovados pela ciência. 
A Ciência que conhecemos não tem as ferramentas para dar respostas para as questões fundamentais sobre as suas teorias, tais como o universo começou, e como a vida começou. Outras questões sobre as origens que parecem estar além do alcance da ciência incluem a origem da informação da complexidade biológica, a origem da reprodução celular, a origem de gênero e reprodução sexual, a origem das novidades morfológicas, etc. Os Cientistas e teólogos tentaram desenvolver outros modelos, mas nenhum deles parece adequado ao nível das escrituras. Nenhum outro modelo tem suporte bíblico, e nenhum tem base comprovada pela ciência. 
 
Pela criação, sabemos que Deus agiu diretamente, criando o universo e a terra onde vivemos, Onde ele age pessoalmente e cria se os seres vivos e o ser humano e os trouxe à existência. Já a Evolução é a teoria de que todos os organismos, incluindo seres humanos, foram se graduando através do tempo através de descendentes do mesmo original ancestral. Evolução é por vezes definida simplesmente como "mudança ao longo do tempo". 
 
O Modelo criacionista e o modelo evolucionista são radicalmente diferentes nas origens, e muitas vezes se torna o foco da atenção quando as questões são discutidas na criação. As diferenças entre as duas teorias são profundas:
O modelo bíblico afirma que os seres humanos foram criados separadamente em um ato sobrenatural de criação, alguns milhares de anos atrás, no final de uma criação de seis dias literais. Eles foram dotados com a imagem e semelhança de Deus e a possibilidade de a vida eterna. O casal humano original escolheu livremente a duvidar de Deus, trazendo morte e outros males em todo o mundo.
Em contraste, a evolução baseia se em uma abordagem naturalista para a ciência, sem respeito aos Ensinos Bíblicos. A Evolução Naturalista afirma que os seres humanos desenvolveram a partir de ancestrais simiescos, através de processos estritamente naturais, ao longo de vários milhões de anos. Os seres humanos não têm estatuto especial na natureza, e não há nenhuma base para acreditar na vida após a morte. A Morte, doença e sofrimento são simplesmente natural subprodutos dos processos que operam na natureza, e não pode ser considerado bom ou mau em qualquer sentido "moral". As diferenças entre os dois modelos poderiam dificilmente ser mais dramático.
 
No entanto, outros modelos têm sido proposto que tendem a amenizar alguns dos contrastes entre as Teorias bíblicas e evolucionistas. Existe grande número de tentativas de aproximação entre esses dois modelo, em que elementos da história bíblica da criação são misturados com elementos do evolucionismo. Todos estes modelos partilham de ideias bíblica de que a natureza é o resultado de propósito divino, a ideia de a Deus criou a vida e a partir daí ela foi se graduando e evoluindo através de  longos períodos de tempo. Este modelo tem por nome “Evolução teísta”, que coloca o tempo de seis dias descrito em Genesis, em uma escala ampliada de milhões de anos, em que os seres criados por Deus evoluem e a partir daí se origina a vida que conhecemos. Claramente vemos o conflito com a bíblia, pois no versículo 27 de Genesis 1 está escrito que Deus criou o homem do pó da terra, e ele já era completo e perfeito, não tinha defeito e era até semelhante a Deus, e dotado de inteligência e poder de livre escolha, quando fora criado, pena que ele escolheu o caminho do pecado. Se essa realidade fosse real, abriria se a oportunidade de questionamentos quanto à bondade e justiça de Deus, como por exemplo: o fato de Deus jugar alguém que não poderia jugado pois sendo Adão sendo um suposto "primata" suas decisões não poderiam avaliadas pois não possuía, assim a bíblia toda estaria em contradição, pois ela é quem Diz que Deus é justo.
 
Existem muitas formas de evolução teísta, e todas possuem inúmeros problemas. Um desses problemas está no registro fóssil, analisando todas as espécies de fóssil encontradas, não foram encontradas uma única árvore evolutiva com todos os organismos intermediários completos até o ancestral comum entre eles, ou seja, a árvore evolutiva refletida nos registros fósseis estão cheias de lacunas, o registro fóssil apresenta muito mal para o processo evolutivo.
 
Ambos os dados bíblicos e científicos indicam que todos os seres humanos são verdadeiramente membros da mesma espécie, em todos os aspectos.  A complexidade da vida parece difícil de harmonizar com a visão que o ser humano pode surgiu puramente por meio de processos em que todas as reações químicas eram e são dirigidos por lei natural. A lei natural não é capaz de produzir um cérebro com liberdade de escolha.
 
Temos também como exemplo a queda de Adão, que é difícil de explicar no contexto da evolução teísta. Em
evolução, os seres humanos estão em uma trajetória ascendente ao invés de a trajetória descendente descrito na Bíblia. Esta implicação da evolução teísta apresenta problemas teológicos, minando o ensino bíblico do Calvário e a expiação.
Evolucionistas teístas frequentemente negam que houve qualquer Adão individual, mas que Adão era uma representação do avanço evolutivo de primatas para humanos. Outra opinião é que Adão era uma pessoa divinamente escolhido, em quem Deus implantou uma alma, já alguns aceitam a realidade de Adão como um agricultor com emergente autoconsciência ao invés de uma alma.
 
Os Evolucionistas teístas muitas vezes rejeitam a história da queda de Adão, interpretando-a como símbolo do
fato inegável de que estamos afastados de Deus e alguns afirmam que não houve queda, vemos aí claramente o conflito com os ensinamentos da Bíblia. Já outros  oferece uma posição contrastante, que houve sim uma queda real, que foi um fracasso em ecológico de responsabilidade por parte de Adão e Eva. O resultado da queda foi os efeitos ecológicos negativos resultante do abuso da natureza pelo homem. No entanto, se os problemas ecológicos são um mal moral, quem foi o responsável por eles antes de Adão pecou, já que a mesma “ciencia” cita fósseis de animais e de plantas de milhões de anos , mesmo antes da existência de adão? O problema da morte e sofrimento está relacionado com o problema dos efeitos da queda, mas pode ser discutidos separadamente. Todos os modelos de evolução teísta implica a ideia de morte e sofrimento antes. O registro fóssil torna-se assim um registro de atividade de Deus, não um registro dos resultados do pecado de Adão. Existe registros de extinções em massa no registro fóssil, não parece refletir o comportamento de um Criador carinhoso! 
É comumente alegado que a "morte" que resultou do pecado de Adão era apenas uma " morte espiritual"; morte física já estava em vigor. Esta conclusão tem sido severamente criticada. A Morte é resultante da queda de Adão deve ter sido física, dado que se trata de retornar ao pó, e foi facilitada, impedindo o acesso à "árvore da vida." Na verdade, a morte física é um "sinal" de que a morte espiritual já ocorreu.
  
Como podemos ver todos os modelos e teísta evolucionista sofrem graves problemas científicos sérios e não estão conforme os ensinamentos das sagradas escrituras. 
 
A mídia e alguns padres e cientistas tem tentado conciliar evolução científica e religião, mas isso tem encontrado contradição no meio científico e no meio teológico, infelizmente pelas suas ideias formadas em cada um desses modelos, ciência e religião nunca poderão ser reconciliadas.
 
A criação de seis dias literais tem sofrido com as filosofias científicas. Isso é muitas vezes dada como razão para desviarmos o olhar para outras teorias das origens, como podemos ver apenas uma família de modelos tem apoio bíblico, que são aqueles com base no fenômeno da criação feita por seis dias literais interpretados no livro de Gênesis. Este é o modelo em que a história bíblica da redenção está baseada, e o modelo em que nós Adventistas do Sétimo Dia estamos baseado. Agora cabe a cada um de nós, que somos seres vivos complexos e dotados de escolha, a decidirem em qual lado permanecerem. [AA]
 
Voltar

Procurar no site

"Levantai ao alto vossos olhos e vede. Quem criou estas coisas? Aquele que faz sair o seu exército de estrelas, todas bem contadas, as quais Ele chama pelo nome, e por ser Ele grande em força e poder, nem uma só vem a faltar." Is. 40: 26