O Conflito Entre a Teologia do Sábado e do Domingo

02-06-2012 11:31

 

Em Nosso Mundo que se diz  “moderno” que está, segundo alguns pastores vivendo conforme  o novo testamento Bíblico, alguns teólogos, padres e pastores de algumas igrejas guardadores do domingo, tem argumentado-se contra os guardadores do Sábado, da seguinte forma:
 
“O sábado é o sinal da velha criação, e Ele criou Israel, conduzindo-os para fora do Egito; portanto a libertação da escravidão do Egito era o ponto focal máximo da antiga aliança no Antigo Testamento. Mas agora um Moisés muito superior veio na Pessoa de Jesus. E esse Jesus Cristo ressuscitou dentre os mortos no domingo pela manhã e este é o maior de todos os sinais do evangelho, é o dia do nascimento de uma igreja, e o Espírito Santo também desceu no domingo. E Cristo fez um apelo e apareceu para os Seus apóstolos no domingo. O domingo agora é o sinal da nova aliança, porque o Redentor é maior do que o Criador. Esta é a teologia circulando hoje”.
 
Agora  pense bem comigo!  Se nós temos uma diferente construção de um Deus Criador e um Deus Redentor, então estaríamos criando dois deuses diferentes. 
Isto aconteceu nos dias de Paulo com o gnosticismo cristão: eles criam que o Criador era um Deus inferior e imperfeito, um Deus da guerra, mas que Cristo Jesus era um Deus superior porque Ele era um Deus do amor, da graça, do perdão. 
 
Note que por nosso mundo ter bebido muito destas teologias anti Biblicas,  sobre um Deus de duas faces, este tem se tornado um dos principais argumentos de professos Ateus a atacarem a religião, dizendo que Deus é um deus de duas faces, que antes Deus era um Deus bravo, e que agora ele se arrependeu e se tornou “mansinho”
 
A Este sistema damos o nome de Dispensacionalismo, em que se declara que o Antigo Testamento é inferior ao Novo Testamento, e portanto o domingo substituiu o sábado. Tanto no Livro de Genisis como no livro de Salmos encontramos um Deus Criador e perfeito, que salva o seu povo, que é o povo de Israel. Jesus Cristo veio a este mundo para representar Deus o Pai. Ele disse em João capítulo 12: Eu só falo o que o Pai me ensinou; eu só faço o que o Pai me determinou. (João 12:49) Jesus, portanto, Se revela aqui como sendo parte do Criador. E nós lemos em o Novo Testamento de que Jesus é o Co-Criador. Em João 1:Deus declara através de cristo a sua verdadeira identidade “No princípio era o Verbo, . . . e o Verbo era Deus. ... Todas as coisas foram feitas por intermédio dEle. ... E o Verbo Se fez carne.” Se Cristo é Co-Criador de toda a Criação, então Cristo também fez o sábado. Cristo declarou de Si mesmo que Ele é o próprio Senhor do sábado. Isso significa que Ele é o Criador e o Intérprete do sábado, desta forma entendemos que o sábado honra tanto o Criador como o Redentor com força igual. 
A guarda do sábado é um reconhecimento de que o Criador não é inferior ao Redentor, que o Criador é também o Redentor. Vindica o caráter de Deus, de que Deus é fiel à Sua Criação e que Deus será plenamente vindicado quando Ele restabelecer o Paraíso que foi criado. 
 
O sábado não é apenas um símbolo da perfeita Criação no passado, mas é também um sinal que o Paraíso será restaurado. O sábado inclui a promessa de que a Terra e o céu finalmente serão reunidos. 
 
E lemos em Hebreus 4:4 e 11 que ainda resta um descanso sabático [grego sabatismo] no futuro para o povo de Deus. O sábado é a garantia de que o Criador e vai recriar um novo céu e uma nova Terra. O sábado é o sinal de que saímos marchando para Sião, de que haverá uma Nova Jerusalém e de que nós entraremos e fruiremos o eterno descanso sabático. E então o Criador estará plenamente satisfeito de que em primeiro lugar Ele fez uma ótima Criação e de que não precisou destruí-la, e que Ele pôde redimir e restaurar em maior perfeição aquilo que já era perfeito no princípio. Portanto, Hebreus 4 é o elo de união, porque apresenta a conexão entre o passado, o presente e o futuro. E o livro de Hebreus conclui no cap. 13, verso 8 – “Jesus Cristo é o mesmo ontem” – lá no tempo antigo na Criação – “hoje e para sempre” no futuro. A continuidade é garantida: do Paraíso Perdido ao Paraíso Restaurado.
 
Um outro argumento muito utilizado pelos guardadores do domingo é em distorcer a lei de Deus do livro que está no livro de Êxodo no capitulo 20, quando numa ocasião Jesus , no capitulo 22 de Mateus, estava sendo testado pelos Fariseus, quando um se aproximou dele e o perguntou, qual era o grande mandamento no antigo testamento. E Jesus lhes respondeu amarás a Deus de todo o teu coração e de tua alma e de todo o teu entendimento e ao próximo como a ti mesmo. E muitos cristãos estabelecem aí o a doutrina da lei de Deus, dizendo que jesus criou estes novos mandamentos, Jesus não estava fabricando estes mandamentos. O amor a Deus e o amor ao próximo não eram novidade – já estavam contidos no no antigo testamento. Estão contidos em Deuteronômio 6:5 e Levítico 19:18. E Jesus uniu os dois conceitos – amor supremo a Deus e amor ao semelhante – juntou estes dois conceitos e o colocou em nível de igualdade. Isto era algo novo na teologia judaica, ninguém havia pessado que esse era na verdade um resumo dos Dez mandamentos escrito por Deus e entregue ao povo. 
 
E vocês podem ver que os dois novos mandamentos de Jesus não substituem os Dez Mandamentos. Por que não? Porque Moisés apresentou os dois mandamentos da lei. Para Moisés eles estavam unidos aos Dez Mandamentos. 
 
Como estes dois mandamentos de amor se relacionavam aos Dez Mandamentos? Há alguns pastores que não sabem responder isso. Agora, se eles não sabem, como é que o nosso pobre povo saberá? Assim agora eu estou perguntando: Como é que os dois mandamentos de amor estão relacionados com os Dez Mandamentos? Vamos ler as últimas palavras de Jesus. 
 
Mat. 22:40: “Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas.” Aqui está a resposta. Agora explique. Você sempre tem que perguntar: O que é que isso quer dizer? Pergunte às pessoas de sua igreja: O que isso significa? Eles olham para você. Eles não têm a resposta. Eles não foram ensinados a pensar. Muitos deles vêm do catolicismo. Espera-se que eles não devem pensar. O sacerdote, o bispo, o cardeal, o papa é que pensam. E o povo não sabe. Agora você tem que ensiná-lo.
 
E você pede que eles compreendam. Muitos dizem: “Não, eu não preciso entender nada, eu só quero obedecer.” Isto não é bom. Pessoas que simplesmente obedecem as normas de uma igreja não são salvos. E você repentinamente pode perdê-los. Não tragam simplesmente pessoas para dentro da igreja. Conduzam-nos para dentro da Escritura e ponham as mãos deles unidas às mãos de Jesus. Ensinem-nos a estudar corretamente a Bíblia. 
Portanto, no verso 40, o que é que Cristo quer dizer? Destes dois mandamentos de amor penduram-se todos os demais. 
 
Toda a porta tem duas dobradiças. Poderia ser usada uma porta sem as dobradiças? Não, a porta ficaria fechada ou aberta. As duas dobradiças são o amor a Deus e o amor ao semelhante. Então estes dois conceitos são o poder que motiva a obediência aos Dez Mandamentos. Eles se relacionam. Amar a Deus está revelado nos quatro primeiros mandamentos do Decálogo. Como é que você ama os seus semelhantes? Pelos seis últimos mandamentos.
 
Cristo é a garantia. E Ele honra a Seu Pai em seus mandamentos. E isso demonstra que a obra unida do Pai, desde a criação até a redenção e através do tempo infinito. E no futuro, Quando Jesus Aqui retornar será ainda melhor que o Paraíso original, porque na Terra feita nova o trono de Deus estará estabelecido nesta Terra, e nós O veremos face a face. 
 
Por isso tenho desejo de estar lá. E vocês, gostariam de estar naquele Paraíso Restaurado? Deus viu as suas mãos erguidas. Deus atenda ao seu pedido. Amém.
 
 
Referencia: ALIANÇAS DE DEUS NA BÍBLIA - Hans K. LaRondelle 
 

 

Voltar

Procurar no site

"Levantai ao alto vossos olhos e vede. Quem criou estas coisas? Aquele que faz sair o seu exército de estrelas, todas bem contadas, as quais Ele chama pelo nome, e por ser Ele grande em força e poder, nem uma só vem a faltar." Is. 40: 26