Relacionamento Indispensável

14-04-2011 22:30

 A relação afetiva comprometida com o verdadeiro amor é a única maneira de dar sentido à vida

 

O ser humano precisa sentir-se amado e valorizado como pessoa. Criados por Deus, fomos feitos para nos relacionarmos com os que nos cercam. Todo o tempo, estamos em contato com pessoas, culturas e maneiras de pensar diferentes da nossa. O que torna possível que nos relacionemos uns com os outros é o amor.
Nossa vida é apoiada por uma rede de amor. A interdependência é uma característica básica do ser humano. Em la Coríntios 12:12 Deus nos diz que somos parte de um corpo. Não podemos viver isolados desse corpo. Nossa vida depende de outras vidas.
Mas nem toda dependência e benéfica. Apenas a dependência do amor e que nos personaliza e dar sentido a vida. É nesta dependência que se situa, mais profundamente, o relacionamento humano. Deus nos deixa claro, em Colossenses 3:14, que para nos relacionarmos de uma maneira saudável, devemos nos revestir de amor.
Amar é assumir responsabilidade por outra pessoa e querer que ela cresça. Para que eu seja alguém, dependo de uma pessoa que me ame. Amar é muito mais do que fazer algo por alguém. Amar faz alguém.
Para compreender melhor a dimensão do amor, abrace alguma pessoa. Ao abraçar, estamos dando importância a essa pessoa, porque para abraçar, primeiro teremos que nos abrir para ela. Agora podemos entender melhor o amor. Amar é estar aberto ao outro. É a única alternativa possível de religação com os semelhantes e com Deus.
O amor é educativo, pois ensina a amar aos outros. Só o amor é capaz de manter equilíbrio e harmonia nas relações humanas. Do contrario, elas se autodestroem. É pela falta de amor que as relações entram em crise. Algo tão simples, como dar um abraço, torna-se cada dia mais difícil.
Há pessoas com tremenda dificuldade em abraçar. Quantos filhos chegam ao consultório e se queixam de que nunca receberam um abraço de seu pai ou de sua mãe! Quantas esposas reclamam de que o marido e incapaz de dar um abraço carinhoso, destituído de conotação sexual! Uma ação tão simples, mas os pais e esposos não conseguem executa-la!
"O amor se esfriará de quase todos" (Mat. 24:12), adverte-nos Jesus.
Quem ama Cuida - Um relacionamento destituído de amor pode destruir-nos, por suprimir nossos anseios básicos e frustrar a nossa natureza. Em nenhuma outra área, as deficiências humanas se manifestam mais tragicamente do que no campo do relacionamento. Se existimos a medida em que nos relacionamos, também, a medida em que o relacionamento falha, somos prejudicados.
Portanto, não é qualquer forma de amor que vale a pena. Só uma e valida! Como identifica-la? Não temos outra saída a não ser recorrer ao modelo do amor divino -Jesus. Ele é o próprio amor.
Na historia da Criação, observamos que Deus, ao fazer todas as "coisas", utilizou a palavra (Sal. 33:9). Mas, quando Deus criou o ser humano, fez diferente. Foi além da palavra. Ele pegou o pó da terra, com as próprias mãos, e com carinho moldou o homem a Sua imagem e semelhança. Soprou em seu nariz o folego de vida e fez o homem alma vivente: proximidade, intimidade eterna. Assim que Deus queria que fosse o relacionamento dele com a humanidade de e da humanidade entre si.
É assim que você se relaciona com a seu cônjuge, com os filhos e amigos? Quando você vê sua esposa crescendo, dá incentivo?
Uma pessoa que consegue estabelecer relações humanas saudáveis é aquela que teve a felicidade de receber, no inicio da vida, a quota de amor e segurança de que necessitava.
Porem, o homem não e capaz de dar o que não tem. "O amor vem de Deus". Assim, é preciso receber o Seu amor a cada dia, para poder refleti-lo aos outros. Abra o coração para dar e receber o verdadeiro amor!
 
 
 Augusto César Maia – Psicólogo Clínico em Campinas SP
Sinais dos Tempos jan-feve-2000
 
Voltar

Procurar no site

"Levantai ao alto vossos olhos e vede. Quem criou estas coisas? Aquele que faz sair o seu exército de estrelas, todas bem contadas, as quais Ele chama pelo nome, e por ser Ele grande em força e poder, nem uma só vem a faltar." Is. 40: 26